Casal Aventura

Casal Aventura

18 de junho de 2015

Passeios por BARILOCHE

Dia 16/dez
Passeios por BARILOCHE

Enfim, estávamos em San Carlos de Bariloche, carinhosamente, Bariloche.

Após tomar um delicioso café da manhã, com uma bela vista para o Lago Nahuel Huapi, fomos dar uma volta pelo centro da cidade, buscando um espaço de turismo para se informar sobre os possíveis passeios. Para nossa surpresa e alegria, o Centro Cívico, espaço em que se encontra também o centro de informações turísticas, ficava a menos de 200 metros do Hotel, aliás, a localização deste hotel é fantástica.


Neste centro pudemos pegar vários mapas turísticos e fomos super bem atendidos. A atendente, muito solícita e simpática, explicou que poderíamos fazer o “Circuito Chico” com nossa moto, pois é perto da cidade e que poderíamos aproveitar para conhecer o Cerro Catedral e o Cerro Campanário. Indicou que buscássemos uma agência de turismo para fazer o passeio pela Villa Traful e Villa La Angostura, mais distante e com trechos de terra, e que o valor cobrado pelas agências é tabelado, portanto era só uma questão de escolher a agência.

Aproveitamos nossa ida à lavanderia (para deixar as roupas sujas, pois já já não teríamos mais o que vestir), para procurar uma agência, encontramos a Adventure Center (http://www.adventurecenter.com.ar/) e fomos atendidos por uma argentina, Andréa, que morou na Bahia durante alguns anos. Enfim, em pouco tempo, parecíamos amigos de longa data. Fechamos o pacote para visitar as Villas para o dia seguinte. Decidimos desbravar Bariloche por conta própria no dia de hoje.

Voltamos ao Hotel, pegamos a moto e saímos em direção ao Circuito Chico

Chico significa pequeno, mas não se engane, pois talvez o trajeto seja realmente pequeno perto de outros passeios, mas a grandiosidade da sua beleza é algo que emociona.





O percurso vai beirando o Lago Nahuel Huapi, um lago de águas glaciares, e desde o inicio do passeio a paisagem já fica deslumbrante. 






A mistura de cores das flores, das montanhas com seus picos nevados e o azul do céu, é algo realmente inesquecível. Durante o trajeto, feito em meio a árvores, flores e lagos, é possível parar para fotografar e curtir as paisagens que são de tirar o fôlego. No meio do circuito tem o Hotel Resort Llao Llao, famoso por sua culinária (mostrada no Diário do Olivier na América do Sul - http://gnt.globo.com/programas/diario-do-olivier/episodios/5033.htm), localização e preço. Optamos por não parar no Hotel e seguir em frente.

Logo nos deparamos com o Lago Perito Moreno e uma pequena serra, que contorna as montanhas e nos leva ao ponto mais alto, onde ficar o Mirador e Bar Punto Panorámico, lugar de atendimento impecável, preço justo e uma vista fantástica dos lagos Perito Moreno e Nahuel Huapi e das inúmeras montanhas que os cercam. Realmente visuais de encantar. 



Aproveitamos para tomar um chocolate quente, nada mais convidativo para se aquecer do frio e aproveitar a vista.

Enquanto estivemos por lá, pudemos apreciar até um falcão, típico da região, que pousou, literalmente, para nossa filmagem (assista ao vídeo), além de tirar inúmeras fotos da paisagem, imagens que guardaremos na memória, para sempre.








No vídeo, vocês assistirão nossos passeios de forma invertida, depois do Circuito Chico, vem o Cerro Catedral e o nosso passeio pela estrada que chega à Bariloche e, no final do vídeo, o nosso passeio de teleférico, mas, na realidade, primeiro fomos direto ao Cerro Campanário (http://www.cerrocampanario.com.ar/), que faz parte do Circuito Chico, pois fica na estrada de retorno à Bariloche. 





Para visitar o Campanário, somos levados por um teleférico ao cume de 1050 metros de altitude e, se achávamos já ter visto paisagens deslumbrantes, não tínhamos ideia do que ainda estava por vir.



Chegar ao cume do Cerro Campanário é algo extraordinário, é como estar “no topo do mundo”, um daqueles momentos de emoção pura, diante de tanta beleza, de tanta harmonia ofertada pela natureza. É algo realmente incrível, um visual inesquecível e fantástico. Todas as palavras e imagens não conseguirão descrever as belezas e os sentimentos experimentados diante daquele lugar de sonhos. Para todo canto que olhamos, e são 360º de vista, nos deparamos com visuais belíssimos. 


Novamente pudemos vivenciar aquela sensação indescritível, diante de algo indescritível, em que as lágrimas surgem porque o coração não aguenta a emoção. Com certeza, ao final da descida do teleférico, na volta, éramos outras pessoas.



“Desde la cumbre podemos observar uma de las ocho vistas panorâmicas mas impactantes del mundo” 
(National Geographic).



O Cerro Catedral (http://www.catedralaltapatagonia.com/invierno/index.php) fica em uma das estradinhas vicinais, no final do Circuito Chico, e a serra que nos leva até lá é outra coisa encantadora. 


O Cerro Catedral é uma estação de esqui, com seus inúmeros teleféricos, a mais famosa estação da região Patagônica, visitada por turistas do mundo todo que amam o esporte. Estávamos no verão e o que vimos de neve foi um branquinho bem pequeno, no alto dos morros, mas já deu pra imaginar todas aquelas montanhas cobertas de gelo e, só de pensar, já ficamos com frio rsrsrsrsrsrsrsr


Aproveitamos a parada, já próxima ao almoço, para lanchar na única lanchonete aberta nestes tempos de verão. Ficamos imaginando como será a “vida agitada” em tempos de neve, porque o lugar é gigantesco. Nosso único contato com a realidade da neve foi ver uma turma de escola que estava praticando aulas de esqui, dadas também nesta época do ano, em uma pista artificial, um iglu e um boneco de neve, também artificiais. Ficamos com vontade de voltar no inverno....

Depois de passearmos pelo Chico e por alguns Cerros, pois tem outros tantos na região de Bariloche, decidimos refazer o caminho de chegada à cidade. Como no dia anterior chegamos já ao anoitecer, achamos que valeria a pena refazer o caminho de entrada na cidade, para apreciar melhor suas cores, suas flores, montanhas e rios. Foi uma ideia brilhante, pois pudemos ter certeza de que o que nossos olhos tinham visto no dia anterior era real, existia, e não era a pintura de um quadro, embora parecesse.


Nosso dia foi magnífico, entraria para os momentos inesquecíveis de sonhos realizados, mas mal sabíamos o que ainda estava por vir por estas terras, considerada, por muitos, a Europa da América do Sul.




Chegamos ao Hotel, exaustos, mas queríamos andar um pouco pelo Centro Cívico e pelas lojinhas ao seu redor. Decidimos procurar um lugar para jantar antes do passeio, afinal, já era mais de 20h, embora o sol ainda estivesse alto.

Escolhemos o El Chiringuito para comer. Um restaurante simples, pequeno, mas com uma excelente comida, um preço ótimo e bons vinhos. Bom ressaltar que, por estas bandas, todo e qualquer boteco tem bons vinhos!!!!

Depois de comer, fomos caminhar pelo centro e pudemos conhecer um pouco da arquitetura e de uma cidade bem cuidada e aconchegante. Demos umas voltinhas pelo comércio local, repleto de lojas de “lembrancinhas” e de equipamentos para caminhada, esqui e de belas e robustas roupas de inverno.

Ao deitarmos tínhamos a certeza de que este dia seria lembrado para sempre, como tantos outros, e só nos restava agradecer por isso!

Não deixe de assistir ao vídeo deste dia incrível...



Para saber mais:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seja bem vindo nesta aventura e obrigado por compartilhar conosco!!!