Casal Aventura

Casal Aventura

15 de junho de 2015

Perito Moreno à Bariloche


Dia 15/dez

Perito Moreno à Bariloche
860 kms


Saímos cedo de Perito Moreno, após tomar um café fraquinho, servido no hotel. Estávamos ansiosos pelo dia de hoje, afinal, chegaríamos a tão sonhada Bariloche e ainda teríamos alguns trechos de rípio pela frente.


Um pouco antes de nosso encontro com o rípio, paramos para tomar um cafezinho, pra esquentar, já que o dia estava bastante frio, cerca de 15 graus, o que, de moto, parece bem menos e, pra ajudar, o vento ainda era nosso companheiro de viagem, bem mais fraco, mas ainda persistente.

“Resolvi pedir um tal de submarino,  o famoso chocolate quente, mas surpresa: vem um copo de leite puro e um tablete de chocolate, que é vendido até em supermercados, como me disse a atendente, que colocamos dentro do leite quente, por isso submarino. O tablete vai derretendo aos poucos, achei o máximo. Amei, fiquei imaginando que ia querer tomar isso todo dia!! Preciso tentar fazer com um tablete existente no Brasil pra ver como fica” (Andréa).


Logo após nossa parada, nos encontramos novamente com os guanacos e com o rípio, pegamos uma serra, isso mesmo, uma serra repleta de curvas e de muito rípio, realmente a mais pura aventura (assista ao vídeo). Novamente um dia de paisagens incríveis.






Depois de um trecho de asfalto muito ruim, mais rípio, só que agora com uma pitada de emoção: muita areia.




Pilotar no rípio já é algo extremamente difícil, junte-se a isso a areia fofa e a moto fica, literalmente, dona de si e sempre prestes a derrapar e cair, e foi exatamente o que aconteceu... Pra não deixar passar em branco, claro que tombamos, mas, como nas outras vezes, o tombo foi tranquilo e em câmera lenta, nos derrubando para o lado da areia fofa, um morro que ainda ajudou a segurar, para que a moto não caísse totalmente no chão.

“Eu, que já estou craque em sair pulando em momentos como esse, mas, dessa vez, tive um pouco mais de dificuldade, deve ser a idade rsrsrsrsrsrsrsr minha perna ficou um pouco presa, mas logo consegui tirar. Jorge ficou mais preso e não conseguia colocar força pra fazer a moto levantar. Coloquei toda força que tinha, junto com o empurrão de Jorge e a moto ficou novamente em pé, pra nossa alegria e alívio” (Andréa).

O rípio acabou e encontramos asfalto novo, em bom estado, quase o beijamos de tanta alegria. Fizemos uma parada na primeira cidade depois do rípio, enquanto estávamos abastecendo, escutamos uma buzina e, para nossa surpresa, vimos nossos anjos da guarda, isso mesmo, Max e Laura e suas lindas “hijas” (neste momento é que soubemos seus nomes), tomamos um lanche juntos e aproveitamos para trocar contatos, afinal, a estrada nos tinha unido novamente. Nos arrependemos de não ter fotografado o encontro.


Aproveitamos a cidade para calibrar os pneus, que tínhamos esvaziado para facilitar a passagem pelo rípio, encontramos uma “gomeria” com um nome pra lá de engraçado...




Chegamos à belíssima região de Esquel, El Royo, El Bolsón e El Foyel, com suas altas montanhas de picos nevados e suas grandes árvores, visual que prepara o viajante para o encontro com a região de San Carlos de Bariloche, que é um verdadeiro sonho!



Muitos viajantes já relataram sobre a beleza de se chegar à Bariloche, o encanto de suas serras, com um colorido incrível e uma mistura de contrastes capaz de impressionar o mais insensível humano. No entanto, este é um daqueles lugares que nenhum relato, nenhuma foto ou filmagem, nenhuma descrição irá conseguir transmitir o que somente os olhos podem ver e o coração pode sentir.


Outro daqueles lugares que estarão no topo da lista de os mais belos já vistos em nossas aventuras. Terminamos a viagem com o entardecer, chegamos à Bariloche já era noite, nosso dia foi realmente extenso e intenso. Nossa aventura pelo rípio fez com que a viagem demorasse muito mais do que o previsto, por isso chegamos ao destino após quase 12 horas de estrada.

Encontramos facilmente o hotel Tirol (reservado com antecipação pelo Booking.com), mas pegamos um trânsito e tanto para chegar até ele. Nosso quarto era o mais alto do alto, tipo suíte presidencial, com direito à banheira e uma vista incrível para o Lago Nahuel Huapi e para as montanhas que o cercam. Nem esperávamos que o quarto fosse tão incrível, mas, afinal, era a comemoração de nosso aniversário de casamento, lembram?

Estávamos exaustos, mas tínhamos que comer alguma coisa. Indicaram-nos alguns restaurantes e a localização do hotel era excelente, bem próxima do centro e dos principais pontos da cidade. Comemos uma pizza com um bom vinho na Cocodrilo´s Pizzeria, um lugar bem legal, logo na entrada da rua principal da cidade, depois dos arcos.


Hotel Tirol – Excelente – R$ 190,00
Gasto Combustível: $581 pesos


Veja as imagens deste dia incrível...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seja bem vindo nesta aventura e obrigado por compartilhar conosco!!!