Casal Aventura

Casal Aventura

3 de maio de 2015

Comodoro Rivadavia à Rio Gallegos

Dia 10/dez
Comodoro Rivadavia - Rio Gallegos


Acordei cedo e já tinha deixado as coisas arrumadas na véspera, enquanto aguardava o concerto da moto.



Tomei aquele desayuno fraquinho, típico dos hotéis argentinos (duas medias lunas e uma xícara de café com leite) e arrumei toda a bagagem na moto. Lá pelas 7:30hs já estava indo para a estrada.

Agora estaria viajando sozinho. Lucas já tinha partido na segunda, dia 8, e eu nem sabia se para o sul ou para o norte. Quem sabe oeste? O certo é que para o leste ele não foi, pois pra lá só havia o Atlântico.


Estes dias parados serviram para descansar bastante. O destino de hoje seria Rio Gallegos, a 800 kms dali, e eu estava preparado.

Logo no início do dia já dava pra perceber que a viagem seria tranquila. Agora que não tinha mais XT “tentando” acompanhar a V-Strom, podia impor um ritmo mais forte e não ficar o tempo todo preocupado em chegar logo no posto de gasolina mais próximo. O vento estava lá novamente, mas muito mais tranquilo. Agora ele já nem incomodava mais, era uma brisa comparado ao que havíamos passado 4 dias atrás. 


Dia agradável, ritmo bom, foi um verdadeiro passeio. Agora não tinha mais a preocupação de saber que tinha outra moto me seguindo. Podia rodar forte quando queria, devagar quando passava por alguma paisagem legal, parava para fotografar e filmar quando quisesse. Me sentia leve. Foram os 800 kms mais agradáveis daquela viagem até aquele momento.

A chegada a Rio Gallegos é feita por uma auto-pista de 3 faixas em cada sentido com controle de velocidade. Uns 20 kms antes de entrar na cidade havia um trevo com placas indicando que para seguir para Ruta 40 e El Calafate eu deveria trocar de estrada. Era por ali que eu seguiria no dia seguinte.

Também havia uma placa indicando “Ushuaia 597 kms” seguindo em frente, mesmo caminho que eu fazia para entrar em R.Gallegos. Parei para fotografar a placa, apenas para me lembrar depois de quão perto eu havia chegado da bendita Ushuaia, sem poder alcança-la. Pelo menos não naquela viagem. O “fim del mundo” teria de esperar por mim mais um pouco...

Cheguei em Rio Gallegos por volta das 18:00hs e logo na entrada da cidade encontrei um hotel meia boca, porém barato, perto de uma estación de serviços e uns restaurantes. Resolvi ficar por lá mesmo porque na manhã seguinte eu teria de voltar para trás até aquele trevo que me levaria para El Calafate, e quanto mais eu entrasse na cidade, mais eu teria de voltar depois.

Moto abastecida, banho, um belo bife de chourizo e uma garrafa de vinho. Eram 9:00hs e eu já estava dormindo, felizão.

Hotel El Panorama: P$ 330 - péssimo
Gasto Combustível: P$ 561


Nesta data, Andréa começara a aventurar-se e se juntava a Jorge na realização de mais este sonho, mas ela mesma vai contar esta história:

Meu dia também começou cedo, e as malas, quer dizer, a mala já estava pronta, ainda bem, porque o dia foi super-corrido, trabalhei o dia todo, quase até a hora de partir rsrsrsrsrsrsrsrsr

Meu voo saiu de Salvador às 20h20m e minha amiga Cristiane, a quem aproveito para agradecer, foi quem me levou ao aeroporto.

Quero aproveitar aqui para agradecer a minha coordenadora Helena, pelo apoio e compreensão, e as minhas amigas e colegas de trabalho, Raquel e Manuela, por terem aplicado minhas provas finais, para que eu pudesse começar minhas férias mais cedo. Minha eterna gratidão pelo companheirismo!

Minha viagem foi de Salvador em direção a El Calafate, Argentina, mas não tão simples assim, tive conexões em São Paulo e em Buenos Aires e a viagem toda durou mais de 14 horas. Era a primeira vez que eu viajava sozinha de avião por tanto tempo e para tão longe, sentia uma mistura de ansiedade e felicidade, ambas por saber que logo encontraria Jorge, amor de quem eu estava com muita saudade, e começaria a realizar mais um grande sonho.

Em Salvador, tudo correu tranquilamente, com uma pequena mochila com minha roupa de cordura e meu capacete, além de duas camisetas, meias e calcinhas (para qualquer emergência caso o encontro com Jorge atrasasse, já que ele carregava minha bagagem), eu parti rumo a mais uma aventura sobre duas rodas.

Ao chegar ao Aeroporto de Guarulhos, por volta das 23h, tivemos uma espera de 40 minutos para desembarcar, por falta de espaço para a aeronave parar, ainda bem que tinha quase 04 horas entre um voo e outro.

Logo fui fazer meu check-in na Aerolineas Argentinas, para ficar tranquila, embora ainda tivesse muito tempo de espera pelo voo que me levaria até Buenos Aires. Ao chegar no balcão, a atendente me olhou como quem olha uma assombração, mediu dos pés a cabeça, acho que porque eu estava vestida para tudo, menos para uma viagem internacional rsrsrsrsrsrsrsr Para minha surpresa (e acho que mais a dela) ao pegar minha passagem, seu semblante mudou, abriu um sorriso e começou a me informar que a área VIP estava a minha disposição, me explicou o local e foi super amável (não sei se foi só impressão minha, mas algo mudou no ar). Eu, ignorante nestas coisas de área VIP, achei que era uma área para todos que viajavam pela companhia (nunca tinha viajado pra fora do país, a não ser de moto, com o que estou bem acostumada rsrsrsrsrsr).

Fui dar uma volta no aeroporto, tomar um cafezinho, fui à livraria comprar uma revista de Lógica, coisinhas que gostamos de fazer em aeroportos. Então, decidi ir pra Sala VIP. Para entrar nela passei pelo Duty Free Shop, nem parei, ela não tem a minha cara e a falta de espaço em viagens de moto proporciona uma economia incrível rsrsrsrsrsrsr

Mais um momento de comédia: ao chegar à área VIP, já fui entrando (lembra que achei que era pra todo mundo) e vi que a porta de vidro não se abria. Uma mocinha, muito simpática, pediu para ver minha passagem, depois de conferir, avisou que eu ficasse à vontade e tranquila, porque eu seria informada no momento de embarcar. E a porta se abriu...

...e uma sala GIGANTE e COMPLETAMENTE vazia surgiu pra mim!!!!!!!!!!! Tinha sofás variados, uma mesa de café com chás, biscoitos, pãezinhos, uma super-máquina de café expresso, que mais parecia vinda de outro planeta. 

Ahhhh também tinha vinho, cerveja e............. champanhe!!!! Isso mesmo, champanhe geladinho em um balde!!!!! Fiquei paralisada, nem sabia que isso existia kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Depois de um tempo para me localizar e ambientar, resolvi andar pra conhecer o espaço VIP...tinha salas para descanso, salas pra usar computador, salas pra ouvir música ou ver TV, uma loucura rsrsrsrsrsrsrsrsrsr Decidi ficar por ali, na sala grande mesmo, tão paralisada com a situação que apenas tomei café, cappuccino e comi umas bolachinhas rsrsrsrsrsrs nem pensei em me esbaldar nas bebidas rsrsrsrsrsrsrsr 

Eu ainda não sabia direito o que estava acontecendo e se algo estava errado, já era dia 11 de dezembro!

Acompanhe as imagens no vídeo abaixo:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seja bem vindo nesta aventura e obrigado por compartilhar conosco!!!