Casal Aventura

Casal Aventura

28 de março de 2015

Zarate à Cañuelas


Dia 03/dez
Zarate - Cañuelas
142 KMs


Na manhã seguinte, após o “desayuno” que até que era legalzinho, saí perguntando no hotel se alguém conhecia alguma loja de peças e oficina que pudesse ter a corrente para minha moto.

Algum tempo se passou entre eu explicar a eles que precisava de uma loja de peças, que tivesse uma corrente, e eles entenderem que eu procurava um “repuesto” para adquirir uma nova “cadena” para la “mota”! 

Mas o que importa é que acabamos nos entendendo... hehehe

O dono do hotel apareceu e sugeriu que eu fosse falar com o Fábio, aquele que conheci ontem, pois ele tinha moto grande também, o que era raro lá na Argentina, e deveria conhecer algum repuesto.


Dando a volta no quarteirão encontramos a loja do Fábio e conversei com ele. Ele pegou o celular dele e começou a ligar pra tudo quanto era loja, digo, repuesto, atrás da minha “cadena”, visto que na Argentina, e em especial naquela região, as motos são todas abaixo de 300cc. e é muito difícil encontrar peças para motos acima disto.

Fábio fuçava na internet e ligava pelo celular. Fez isso por uma hora, talvez. Insistiu tanto que acabou encontrando uma loja na cidade vizinha, Campaña, que tinha uma corrente que servia.  Encontrou no Google Maps o caminho que deveríamos fazer para encontrar a loja, me ajudou a programar o GPS e não poupou esforços para me ajudar.

 

Se fosse aqui no Brasil, dificilmente alguém se dedicaria tanto a ajudar alguém que acabou de conhecer. Eu já tinha tido contato com essa solidariedade argentina na minha outra viagem, em 2010, quando atravessei o norte da Argentina para chegar a San Pedro de Atacama, no Chile, e pude ver, por mim mesmo, que os brasileiros são muito injustos quando falam mal de argentinos. Eles estão anos luz à nossa frente em relação à educação, solidariedade e bons modos. Você percebe isso até na limpeza das ruas, no respeito às leis de trânsito, em praticamente tudo. Temos muito a aprender com nossos hermanos...


Depois das fotos tiradas em frente ao seu comércio, seguimos viagem curta, de uns 60kms, até chegarmos em Campaña, uma cidade pequena, menor até que Zárate, mas, mesmo assim, conseguimos nos perder por meia hora, aproximadamente, até encontrar a loja de repuestos.



Chegamos lá quando eles estavam fechando para o almoço e só voltariam a trabalhar às 15h, por causa da siesta. Ficamos horas parados lá e aproveitamos para almoçar. Costume local, temos de respeitar.



Finalmente troquei a porcaria daquela corrente que já vinha me dando trabalho há tempos por uma nova. Aproveitei e troquei óleo e filtro do motor. Sugeri ao Lucas que ele fizesse isso também, mas ele disse que ainda iria esperar mais 1000 kms para trocar o óleo.


Um dia depois eu aprenderia mais uma lição nessa viagem: Já que uma moto está parada, fazendo manutenção, façam a manutenção das outras também. Isso economiza tempo e não causa desentendimentos...

Finalmente conseguimos por o pé na estrada, mas já eram umas 17h e o dia já estava comprometido.


Conseguimos rodar apenas uns 80 kms e paramos em Cañuelas, pois já era tarde e Lucas estava com um desarranjo intestinal daqueles.

Melhor não arriscar, pois poderia dar merda... literalmente! Kkk.


Hotel Libertá – Muito bom - $ 560 pesos
Gasto Combustível: $100 pesos

As imagens você poderá assistir na próxima postagem... aguarde!!!!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seja bem vindo nesta aventura e obrigado por compartilhar conosco!!!