Casal Aventura

Casal Aventura

25 de março de 2013

Desbravando a vizinhança


3º. Dia – 17.12.2012

Arraial d´Ajuda, Porto Seguro e Santa Cruz Cabrália


Neste dia os viajantes decidiram desbravar novas praias e optaram por ir à Praia de Pitinga, também próxima ao vilarejo. Estar de moto limita aventurar-se por estradas de terra e areia, o que não permitiu que fossem conhecer praias mais distantes.

O nome Pitinga, de origem indígena, significa Pigmento Branco, porém na língua nativa, significa Vermelho, o que pode ser explicado pelas cores das falésias que cercam o mar à beira da bela praia, formando, junto aos recifes, um visual fantástico. Na maré baixa também proporciona piscinas de águas mornas (quase quentes, no verão) e o visual de ondas fortes quebrando em seus recifes. Realmente um lugar de belas paisagens.

Em tupi-guarani, Pitinga significa pequeno crustáceo, ou alguma coisa suave, leve e branca. Talvez essa seja a melhor opção para definir a praia de Pitinga. Suave em seu mar, leve em seu visual, esplêndida e branca em sua areia fofa e na transparência de suas águas esverdeadas. Pitinga também é um nome dado a um peixe bem pequenino, com sabor forte e servido em barracas por toda a Bahia.


Pitinga é definida, por quem conhece de belezas naturais, como uma das mais belas e exóticas praias do litoral brasileiro. Sua infra-estrutura de cabanas chamam a atenção dos turistas.


Optaram por ficar na Barraca Maré, indicada pelo garçom que os atendeu no dia anterior. A Barraca possui uma excelente infraestrutura, com boa comida e ótimas opções de roskas.



Aproveitaram para caminhar um pouco pela praia, ver de perto as falésias, principal atração desta região e de nadar nas piscinas naturais, repletas de peixinhos e de águas transparentes.





Ficaram em Pitinga até o início da tarde e após curtirem as paisagens, a hospitalidade local e as águas mornas, voltaram pra Arraial. E na volta aproveitaram para fotografar a Igreja de Nossa Senhora d´Ajuda e a vista do mar que se perde ao fundo da igreja. Sem dúvida, uma das mais belas paisagens do vilarejo.





Após um bom banho, almoçaram no Restaurante ‘A Portinha’, não queriam perder um dos melhores almoços a quilo já experimentados. A variedade e o sabor fazem deste restaurante uma ótima opção.



Depois de se deliciar com o almoço, decidiram ir passear na cidade vizinha, Porto Seguro. A balsa que atravessa o Rio Buranhém é um dos caminhos para se chegar a esta famosa cidade do sul da Bahia, conhecida por suas praias, sua agitação e pela Passarela do Álcool, rua em que barracas vendem uma imensa variedade de bebidas feitas de frutas da região dividem espaços com inúmeros restaurantes e lojas de “lembrancinhas”.



“E velejando nós pela costa, na distância de dez léguas do sítio onde tínhamos levantado ferro, acharam os ditos navios pequenos um recife com um porto dentro, muito bom e muito seguro, com uma mui larga entrada”.

Pero Vaz de Caminha



Porto Seguro foi fundado em 1534, e foi tombado pelo Patrimônio Histórico Nacional, por ser o local de chegada dos portugueses ao Brasil em 1500. Porto Seguro tem um extenso litoral que se inicia com Arraial d´Ajuda e vai até Santa Cruz Cabrália, sendo divididos pelo Rio Buranhém, o que lhe confere o título de Patrimônio Natural da Humanidade.



Em Porto Seguro os turistas passearam de moto por toda a orla, apreciando as belas praias da região, até chegarem à Santa Cruz Cabrália. Santa Cruz Cabrália briga pela primazia de ser o local de descoberta do Brasil.

Do alto da cidade é possível ver o primeiro “porto”, onde as naus de Cabral atracaram ao chegar ao Brasil.

Santa Cruz Cabrália é uma das cidades construída em dois planos, assim como Salvador, seguindo a tradição portuguesa. Foi criada à margem do Rio Mutari pelo navegador pelo português Gonçalo Coelho, comandante da segunda expedição ao Brasil, em 1503, onde desembarcaram os primeiros missionários e aventureiros, entre eles, o observador Américo Vespúcio. Oito décadas depois, a Vila de Santa Cruz, nome então dado ao Brasil, foi transferida para um platô, na foz do Rio João de Tiba, atual Centro Histórico, de onde é possível ter uma vista de toda a cidade de Porto Seguro.



Nesta parte alta está a Igreja Nossa Senhora da Conceição, construída no século XVII, primeira padroeira do Brasil, antes de Nossa Senhora Aparecida e atual padroeira da cidade de Salvador.







Também é possível conhecer a Casa da Câmara e a Cadeia, que abrigou a primeira intendência do Brasil.

 







E as ruínas do primeiro colégio jesuíta do século XVI.








A cidade de Porto Seguro é Monumento Nacional desde 1973, por ser um dos primeiros núcleos habitacionais do Brasil, além de ter o Marco do Descobrimento. O marco veio de Portugal entre 1503 e 1526, utilizado para demarcar as terras, simbolizando o poder da coroa portuguesa.





Após um pequeno passeio pela história do Brasil, e já com o dia chegando ao fim, os viajantes, por estarem de moto, decidiram “bebemorar” em Arraial, onde poderiam circular a pé, apenas passando pela passarela do álcool.



Escolheram comer no “Crepe da Miloca”, uma creperia que existe há mais de 13 anos na região e tem um grande número de opções de crepes feitos na hora e que são deliciosos.




Aproveitaram para dar mais uma olhadinha na loja de artigos da Indonésia, afinal, é de uma beleza que não cansa.










A sobremesa no final da noite ficou por conta do maravilhoso sorvete da “Soverteria Coelhinho” (www.sorveteriacoelhinho.com.br), conhecida por ter um coelhinho de pelúcia andando de bicicleta na porta.







Passeios em imagens:


Para conhecer mais:

http://pt.wikipedia.org/wiki/Porto_Seguro
http://www.portosegurotur.com/
http://www.feriasbrasil.com.br/ba/portoseguro/
http://pt.wikipedia.org/wiki/Santa_Cruz_Cabr%C3%A1lia
http://www.feriasbrasil.com.br/ba/scruzcabralia/

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seja bem vindo nesta aventura e obrigado por compartilhar conosco!!!