Casal Aventura

Casal Aventura

16 de junho de 2012

Voltando pra casa...ou quase!




14º. Dia

31.12.2011

Curitiba – PR 

a Santos – SP





A aventura chegava ao seu último trecho, já deixando saudades. Os motociclistas saíram de Curitiba por volta das 7h, e a turma do carro saiu de Joinville por volta das 7h30m. Sob uma chuva incansável fizeram todo o percurso.






Sandro acompanhou o casal até Miracatu, onde se despediram. A partir dali tinham destinos diferentes. Sandro seguiu para sua casa em São Paulo (Capital), mas Jorge e Andréa tinham como destino a cidade de Santos, litoral paulista, onde passariam o Ano Novo na casa dos pais de Andréa. Para isso, seguiram pela Rodovia Padre Manual da Nóbrega, também conhecido pela Estrada da Banana.


O casal de aventureiros atravessou a Ponte Pênsil, por volta das 13h30m. 

Ponte pênsil, ou ponte suspensa é um tipo de ponte sustentada por cabos e tirantes, construídas de acordo com as antigas pontes de corda Incas. As primeiras pontes são datadas do século XIX, mas existem relatos de pontes deste modelo desde o século III, que eram pontes de suspensão mais simples, utilizadas por pedestres e rebanhos. As sucessoras modernas são as pontes estaiadas.

A Ponte Pênsil de São Vicente liga a ilha ao continente. Foi construída em 1914 com a principal finalidade de conduzir o esgoto coletado nas cidades de Santos e São Vicente para o seu lançamento no Oceano Atlântico, na Ponta de Itaipu, hoje município de Praia Grande. Fez parte do conjunto de obras de saneamento da ilha, conduzido pelo engenheiro Saturnino de Brito. Em sua inauguração, o então prefeito de São Paulo, Washington Luis Pereira de Sousa, atravessou a ponte em um automóvel, acompanhado de sua comitiva. Embora o objetivo fosse o saneamento, desde sua construção, a ponte sempre foi utilizada para travessia de veículos e pedestres.

A chegada até a Ponta da Praia (bairro daquele último prédio na foto ao lado), onde moram os pais de Andréa deveria levar cerca de 15m, mas chegaram ao apartamento as 14h30m, depois de se perder entre São Vicente e Santos, cidades que conhecem há décadas, e levar a única multa da viagem. O pessoal do carro chegou às 15h. Todos exaustos, mas felizes.


Santos é uma cidade litorânea, que fica a cerca de 60 km da capital paulista. Abriga o maior complexo portuário da América Latina, principal responsável pela sua economia, ao lado do turismo, da pesca e do comércio. É a 18º. Cidade mais rica do país e durante um bom tempo sua economia centrou-se no comércio do café, abrigando a Bolsa Oficial do Café, inaugurada em 1922, onde, atualmente, encontra-se o Museu do Café. Santos é uma das cidades mais antigas do país. Seu povoamento começou por volta de 1540 e o passado deixou casarões, museus e igrejas, monumentos povoados de história. Tem sua origem relacionada à chegada dos primeiros colonizadores portugueses, na expedição de Martim Afonso de Souza, que distribuiu entre os fidalgos que o acompanhavam, as terras ao redor da Ilha de São Vicente. Dentre os fidalgos estava Brás Cubas, fundador oficial de Santos. 


A arte Sacra se manifesta em igrejas coloniais, barrocas, neogóticas e no museu instalado no Mosteiro de São Bento. Conta ainda com o Museu da Pesca, o Museu do Mar e o Museu Marítimo. Em 1998, a Organização das Nações Unidas apontou a cidade de Santos como a primeira no estado de São Paulo em qualidade de vida, e a terceira do Brasil.



Seu principal cartão postal são os 7 km de praia, onde podemos desfrutar do maior jardim frontal de praia em extensão do mundo, os Jardins da Orla de Santos fazem parte do Livro dos Recordes.






Uma de suas principais atrações é o Aquário Municipal, primeiro aquário público do Brasil, foi inaugurado em 1945, pelo então Presidente Getúlio Vargas. É o segundo parque mais visitado do estado, superado apenas pelo Zoológico de São Paulo. Em 2004 teve início uma importante reforma que triplicou sua área e criou novos e modernos espaços para os animais, além de propiciar melhor estrutura para o setor administrativo. Reaberto em janeiro de 2006, apresenta mais de 200 espécies de água doce e salgada, num total de 4000 animais aquáticos ocupando seus 30 tanques. São garoupas, moreias, carpas, piranhas, tartarugas, tubarões, corais, etc. Todos os tanques apresentam cenografia representando o habitat das espécies ali presentes, como o Amazônico, Asiático, Mangue, Praia Arenosa, etc. Também foi criado o “Tanque de Toque”, onde os visitantes têm contato com anêmonas e ouriços, sempre orientados por um monitor. O lobo-marinho Macaezinho é a maior atração, realizando traquinadas e acrobacias em seu tanque de 134m². O novo tanque para os pinguins possui um espaço para banho de sol e uma área totalmente refrigerada. Ali, o visitante pode ver o único pinguim nascido em cativeiro, no Brasil. O antigo espaço do lobo-marinho foi transformado em um “Tanque Oceânico”, com 350 mil litros de água, onde estão expostos tubarões, meros, raias e cardumes de grande porte.

Outra atração, que chama a atenção de todos que passeiam por sua orla, são os prédios tortos. Mais de 90 edifícios das décadas de 40, 50 e 60, estão tortos, principalmente entre os canais 3 ao 6, onde a composição do solo da cidade, formado por areia e argila, é a principal causa da inclinação dos prédios. Pelo seu caráter litorâneo e pelo fato de ter sido construída em parte sobre antigos terrenos de manguezais, a cidade de Santos tem um perfil de solos dos mais difíceis no país para a construção de fundações. Por este motivo, uma série de edifícios foi erigida, ao longo do século XX (especialmente a partir da década de 1960) com fundações executadas a partir de equívocos de sondagem ou de projeto. Com o tempo, tais edifícios passaram a sofrer acentuados recalques diferenciais: tornam-se "tortos" (ou seja, perdem o prumo) aos olhos dos pedestres situados na praia. O reaprumo ou a implosão e reconstrução são soluções possíveis. A primeira opção, menos impactante que a segunda, já foi executada com sucesso no edifício que era considerado o mais inclinado da orla (o denominado 'Núncio Malzoni', no bairro do Boqueirão), o qual tinha mais de 2 metros de inclinação do topo em relação à base (a inclinação da  Torre de Pisa é de aproximadamente 4 metros).



Enfim, a aventura de 4.800 km chegou ao fim. Mas tinham ainda uma última missão pela frente: preparar a ceia de Ano Novo: peixe, arroz e salada, regada, claro, a um bom vinho uruguaio.










A turma celebrou a chegada do novo Ano Bom, mas também, o sucesso da grande aventura em família.






Assista a um pouco mais deste último dia de viagem...



Para saber mais:


Total de Km Rodados: 414
Abastecimento: 17 litros
Hospedagem: Casa dos Pais.
Ainda não é a chegada em casa, mas, sem dúvida, é como se fosse.

Gasto total (com alimentação): R$ 50,00

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seja bem vindo nesta aventura e obrigado por compartilhar conosco!!!