Casal Aventura

Casal Aventura

24 de fevereiro de 2012

Destino: Montevidéu!

5º. Dia – 22.12.2011
Maldonado a Montevidéu – UR


Não tiveram tempo de conhecer Maldonado, até porque não estava nos planos ficar nesta cidade. mas tiveram um tempinho para fotografar a Igreja Matriz que ficava ao lado do Hotel.

La Catedral San Fernando de Maldonado: seu edifício tem estilo neoclássico. Foi criada em 1801 e fundada em outubro de 1985 por obra do arcebispo montevideano Dr. Mariano Soler (nascido em San Carlos, província de Maldonado). O altar maior representa o trabalho de Antonio Veiga.

Como passaram pela cidade não poderíamos deixar de falar um pouco dela.


Maldonado é um departamento uruguaio situado no litoral sul do país. Também é chamada de San Fernando de Maldonado, denominação dada devido aos gentilicio chamarem seus habitantes de fernandinos. É uma cidade que por sua proximidade com Montevidéu, tem intensa atividade hoteleira e comercial. Segundo o censo de 2011, possui cerca de 160.456 habitantes. Tem como balneário Punta del Leste. A origem de seu nome data de 1530, quando o colono e navegante Sebastián Gaboto partiu rumo a Castilha, na Espanha, deixando a cidade a cargo do Tenente Francisco Maldonado.

Saíram do hotel Colonial por volta das 08h30m com destino a Punta del Leste.

Chegaram a Punta del Leste as 9h30m. Passearam pela orla, onde tiraram foto com o Monumento al Ahogado que é uma escultura de cinco dedos parcialmente enterrados na areia, localizada na Praia Brava, conhecida como Monumento Los Dedos ou La Mano.


A escultura foi feita pelo artista chileno Mario Irarrázabal durante o verão de 1982, (o mesmo que fez a Mão do Deserto em Atacama no Chile dez anos depois) enquanto ele participava do primeiro Encontro Anual Internacional de Escultura Moderna ao Ar Livre. O artista foi inspirado a fazer uma escultura de uma mão durante um “afogamento”, como uma advertência aos banhistas, uma vez que as águas das praias possuem ondas muito fortes, ideais para a prática de surfe. Durante o evento, escultores de todo o mundo trabalharam em suas criações, mas apenas a obra de Irarrázabal pode ser vista até hoje. Cartão-postal de Punta Del Leste manteve seu lugar original e se mantém intacta, exceto pela grafitagem no lado da palma dos dedos que foi feita em 2005.





Punta del Leste também é conhecida por suas belas ruas repletas de mansões e carrões, que lhe confere o título de uns dos dez balneários mais luxuosos do mundo e o mais charmoso da América Latina, oferecendo praias oceânicas e de rio.




Punta del Leste fica localizada no departamento de Maldonado e foi fundada em 1829 por Don Francisco Aguilar, que chegou ao país em 1810, dono de uma frota mercante começou a construir barcos no Rio de La Plata. Foi prefeito da cidade entre os anos de 1829 e 1830, senador em 1840, ano de sua morte. O primeiro nome da vila foi Villa Ituzaingó, passando ao nome atual somente em 1907. Em 1909 começou a construção da Igreja que foi finalizada 07 anos mais tarde. No ano de 1916 instalou-se o primeiro sistema elétrico da cidade. A população gira em torno de 10 mil habitantes, mas nas temporadas de verão ultrapassa 200 mil habitantes, em sua maioria artistas, milionários e membros da algo sociedade de diversos países.



Durante a breve passagem pela cidade, os viajantes aproveitaram para conhecer alguns de seus pontos turísticos além da “Mano”. Visitaram a imagem de Yemanjá, que cuida da orla da cidade, onde tiraram as fotos em família. Passearam por suas ruas arborizadas e impecavelmente limpas.


O Farol de Punta del Leste foi construído em novembro do ano de 1860 por Tomas Libarena com o fim de orientar as embarcações no Oceano Atlântico e no Rio del Plata. O farol foi feito com uma mistura de terra de origem vulcânica que é mais dura do que o cimento, isto faz com que ele seja perfeitamente preservado até hoje. Tem 45 metros de altura e os cristais do sistema de iluminação foram trazidos da França. O sistema funciona a eletricidade, mas no caso de emergência, usa-se gás acetileno. A subida pelo interior do farol é possível por seus 150 degraus.


Em frente ao farol fica localizada a Estação Meteorológica que faz parte da Rede Meteorológica Nacional que apóia a vigilância mundial que constantemente estuda o tempo atmosférico em todo o mundo. Seus antecedentes remontam de 1890 quando a Sociedade Meteorológica uruguaia liderada por Don Luis Lanza, registrou a primeira atividade na zona de Maldonado. No princípio não tinha caráter oficial, quando nos primeiros anos de sua segunda década o estado a oficializou como estação de Punta del Leste de onde se realizam observações de diferentes parâmetros sobre o estado do tempo, transmitindo os dados para a Oficina Central da Direção Nacional de Meteorologia em Montevidéu, onde são utilizados com fins de prognósticos de tempo e estatísticas do clima. É a terceira estação em ordem de antiguidade e seus dados sobre o clima datam de oitenta e sete anos atrás.


Também não podiam deixar de conhecer o famoso Puerto de Punta del Leste, chamado Puerto Nuestra Señora de la Candelaria. É o porto desportivo mais destacado do país e da região. Foi descoberto em 1516 por Juan Diaz de Solís no dia de Nossa Senhora da Candelária, dia 02 de fevereiro, por isto o seu nome. Neste porto são permitidas somente embarcações de turismo e desportivas, de médio porte, contando com quase 500 amarras e um espaço de terra para aproximadamente 350 embarcações. Também possui pequenos barcos de pesca que abastecem de mercadorias as peixarias, o que atrai a presença de lobos marinhos, um espetáculo imperdível (que mostraremos no vídeo abaixo). O entorno do porto é rodeado de restaurantes, pubs e especialistas em frutos do mar. A turma aproveitou para tomar um café no Don Pascual, restaurante que permite curtir o visual das lanchas, iates e pequenas embarcações que fazem parte da paisagem (o que faz o café custar uma nota, como quase tudo nesta cidade).





Saíram de Punta del Leste por volta das 12h. Decidiram não almoçar por lá em virtude do preço pago no cafezinho rsrsrsrsrsrsrsr. Seguiram viagem em direção a Montevidéu, mas pararam para almoçar na estrada, às 13h30m, no Restaurante Solanas, parada que valeu a pena pela comida boa e bem servida, preço justo e bom atendimento.



Chegaram a Montevidéu por volta das 16h.

Depoimento Andréa: “As ruas são muito arborizadas e a orla já surge como um espetáculo a parte, super arrumada, limpa e com um calçadão de fazer inveja a muitas cidades brasileiras, entre elas, Salvador-BA.”

Vale lembrar que o que banha Montevidéu não é o mar, mas o Rio del Plata, também chamado de Mar del Plata em virtude de sua extensão que não permite que vejamos a outra margem, onde está localizada a cidade de Buenos Aires - Argentina.


O Rio da Prata é o estuário criado pelos rios Paraná e Uruguai, formado sobre a costa atlântica da América do Sul, tem cerca de 290 quilômetros de largura e possui uma superfície de aproximadamente 3.200.000 km2. Seu nome refere-se à lendária Sierra de Plata, que foi procurada por Alejo García, Sebastián Cabot e outros, ao subirem pelos rios de La Plata, Paraná, Paraguai e Uruguai, realizando expedições terrestres até Chaco e Chiquitos. É possível que a Sierra de Plata tenha sido uma evocação remota ao Cerro Rico de Potosí, que os indígenas transmitiam boca a boca, ou que tal informação tenha origem nos Incas do Peru. Em 1525 Sebastián Cabot encontrou alguns índios que acompanhavam Alejo García, que carregavam prata em sua expedição e inferiu que naquela região havia muita prata. Desde então organizaram-se várias expedições ao Rio de La Plata, em busca desta riqueza. O rio corre de noroeste a sudeste e no ponto onde as águas deixam de ser doces e se convertem no Oceano Atlântico, sua largura é de 219 km. O limite exterior entre o rio e o oceano está determinado por uma linha imaginária que uma Punta del Leste, no Uruguai, com Punta Rasa no extremo norte do Cabo San Antonio, na Argentina.


Procuram os hotéis que estavam na lista, porém tiveram certa dificuldade, possivelmente em virtude da época, pois todos estavam lotados ou tinham preços muito acima do esperado (como o Ibis).

Encontraram o Hotel The Place, onde ficaram hospedados, sendo recebidos pela dona, que foi muito acolhedora.

Depois um bom banho que revigorou os viajantes, e por ainda ser cedo, saíram para conhecer a cidade e aproveitar o dia que por estas bandas fica claro até quase 22h. Mas este será outro capítulo desta história.


Aproveite as imagens....


Total de Km Rodados: 131
Abastecimento: 14 litros
Hospedagem: Hotel The Place: Valor da diária: R$ 120,00
Hotel simples, mas organizado e limpo. Excelente localização. Internet grátis.
Sem estacionamento e com café da manhã.

Gasto total (com alimentação): R$ 220,00

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seja bem vindo nesta aventura e obrigado por compartilhar conosco!!!