Casal Aventura

Casal Aventura

16 de fevereiro de 2012

Chegando ao solo uruguaio


4º. Dia – 21.12.2011

Rio Grande – RS 
a Maldonado - UR

Saíram da Praia do Cassino às 07h30m. Destino: Chui, onde a turma queria passear e quem sabe fazer umas comprinhas, pois ouviram de outros viajantes que a fronteira com o Uruguai tem ótimos preços e menos risco que a fronteira com o Paraguai. O objetivo era passar a aduana e almoçar em solo uruguaio.



A aventura do dia contava com a passagem pela Reserva do Taim, reserva ecológica famosa por suas retas infinitas e por sua fauna, flora e pelas aves e pequenos aviões que cortam o céu, além da belez.a dos campos de arroz. Imagens que encantaram os viajantes.


A paisagem ainda contou com a passagem de preás, belas flores, muita pastagem de gado, ovelhas e muitos gansos e garças que se amontoavam na beira dos campos encharcados para manter as plantações de arroz.

Depoimento Motociclistas: “A estrada é bem pavimentada e bem sinalizada em todo seu percurso e o visual surpreende por tanta beleza e por suas retas intermináveis. O clima ameno, embora ensolarado, é outro fator que deixa a viagem agradável”.



Passaram a aduana brasileira sem ao menos serem parados. Logo em frente ficava a fronteira entre os dois países.




Chegaram ao Chui (lado brasileiro) e Chuy (lado uruguaio), por volta das 10h30m. e aproveitaram para sacar dinheiro na agência do Bradesco e para fazer a troca de reais por pesos uruguaios, trocados na proporção 10 pesos/1 real.





Chegaram com tempo de visitar algumas lojas, onde já puderam se sentir em outro país e verificar o bom preço, mas optaram por fazer compras no momento da saída, em Rivera.



A divisa entre os dois países é feita por um canteiro que separa a Av.Uruguai, do lado brasileiro da Av. Brasil, lado uruguaio. A circulação entre os dois países é feita.

Chui é um município brasileiro do extremo sul do estado do Rio Grande do Sul, Brasil. É a cidade mais meridional do país, a qual faz fronteira com a cidade do Chuy, no Uruguai. Possui uma população de 5 919 habitantes, constituída por brasileiros, uruguaios e árabes palestinos (estes últimos muito ligados ao comércio).

Situado no extremo-sul do Brasil, o Chuí é exaltado e conhecido por todo o povo brasileiro por ser o ponto mais meridional do país. É um município recém formado através de um processo emancipacionista realizado no ano de 1995 e iniciou sua primeira gestão administrativa em 1º de janeiro de 1997, sendo antes, vila do município de Santa Vitória do Palmar.

É uma das principais portas de ingresso aos grandes centros urbanos do Mercosul.

Tudo se inicia com os primeiros visitantes que pisaram desarvorados nas barrancas do Arroio Chuí ante ao naufrágio da nau-capitânia de Martim Afonso de Souza em 1531, passando por vários tratados feitos e desfeitos, sendo o primeiro – o Tratado de Madrid – de 1750 e o segundo – o Tratado de Santo Ildefonso - que transformou o atual município de Santa Vitória do Palmar em campos neutrais até 1814, a fim de amortecer as disputas entre portugueses e espanhóis.

 A povoação do Chui se iniciou com alguns ranchos e casas isoladas, nas voltas da antiga guarda, às margens do Arroio Chui estabelecida pelo coronel de ordenança Cristóvão Pereira em 1737. Hoje, o único resquício desta antiga guarda, é uma cacimba (cisterna) quase oculta pelos altos pastos do terreno.

Nas décadas de 30 e 40, o Chuí uruguaio estabeleceu certa superioridade em todos os aspectos, principalmente no comércio, em relação ao lado brasileiro, ante ao fato de que a região se encontrava isolada do resto do Brasil, sendo mais fácil se chegar a Montevidéu através da Ruta 9.

A partir da década de 60, o governo brasileiro adotou uma política nacional de fazer com que os municípios de fronteira se desenvolvessem economicamente. Este fato se concretizou com a construção da BR 471 e a vinda de imigrantes palestinos e libaneses na década de 70, passando o comércio do lado brasileiro a se desenvolver intensamente, sendo até hoje a base da economia do município.

O primeiro povoado a ser elevado à categoria de vila foi o chuí uruguaio em 1938, sendo governado por uma junta administrativa subordinada ao conselho departamental de Rocha. Logo em seguida, no dia 30 de junho de 1939, por ato do governo do estado, sob número 1824, o Chuí brasileiro foi elevado à categoria de vila. Sua ata de instalação foi lavrada em 1º de janeiro de 1940, sendo o prefeito de Santa Vitória o Dr João Mário Dêntice.


A importância histórica dessa região deve-se ao fato de ter sido palco de muitas disputas entre portugueses e espanhóis, até a demarcação final da fronteira extremo-sul do país, que por anos e anos foi flutuante, ora pertencente à Espanha, ora à Portugal, sendo também “território neutro” ou “campos neutrais” por muito tempo. Região esta, que até a inauguração da BR 471, ficou isolada do resto do Brasil, e contra tudo e todos, manteve-se vinculada ao país, pelo forte fio de patriotismo e brasilidade, visto que material e culturalmente, foi-lhe sobremodo adverso manter essa ligação.


Quis o destino, felizmente, estreitar cada vez mais os laços de amizade entre brasileiros e uruguaios, fato claramente observado na Avenida Internacional do Chuí/Chuy, avenida esta que divide os dois países. No Chui, é muito forte o sentimento de nacionalidade. Mas a amizade entre os dois povos é tão grande, que se formou uma crença popular que diz que: “Nesta localidade, fronteira e linha divisória servem sempre para unir as pessoas e nunca separá-las”.

Passaram a Aduana Uruguai por volta das 12h30m., sem qualquer dificuldade, o carro teve o porta-malas vistoriado, tivemos os documentos verificados, mas nenhuma mala foi aberta.

Depoimento de um Lascado (Douglas): “O Chuí que faz a divisa entre Brasil e Uruguai não é bonito, mas é excelente para comprar algumas coisinhas, é onde você pode se livrar, mesmo que por pouco tempo, dos pesadíssimos impostos brazucas, tem de tudo por lá, mas eu aproveitei e comprei muitos vinhos chilenos bons por 1/3 do preço daqui e até menos”.

Colocaram as rodas em solo uruguaio e seguiram para as primeiras aventuras em terras estrangeiras: Punta del Diablo e Cabo Polonio (aguarde os detalhes!!!).

Fizeram o primeiro abastecimento no Uruguai em um posto com um pessoal super-simpático que mostrou a receptividade do povo uruguaio, mas para tudo dar certo combinaram em não falar em futebol, até porque estamos em desvantagem ultimamente.


Imagens!





Total de Km Rodados: 456


Abastecimento: 18 litros
Hospedagem: Hotel Colonia: Valor da diária: R$ 90,00
Hotel simples, mas organizado e limpo. Excelente localização.
Sem estacionamento e com café da manhã.

Gasto total (com alimentação): R$ 333,00

Para saber mais:

http://www.bertellichuihotel.com.br/ várias dicas e informações

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seja bem vindo nesta aventura e obrigado por compartilhar conosco!!!